O QUE ACONTECEU NA SEMANA DE MODA DE SÃO PAULO – PARTE 2

Olá fashionistas tudo bem com vocês??? Então hoje estou trazendo para vocês a continuação da semana de moda em São Paulo. Vamos conferir!!!

Gorila Coelho

Podemos dizer que encontrou um caminho interessante para a sua marca: engajar. Com amigas, clientes, atrizes, cantoras e celebridades da internet, o casting do desfile, que aconteceu no salão do Hotel Unique, misturou modelos e mulheres reais, entre elas Alinne Moraes, Marina Lima, Cássia Ávila, Isabella Fiorentino, Camila Coelho, Thereza Fitipaldi, Traudi Guida, Maythe Birman e Paola de Orleans e Bragança. A coleção, com o tema The Crown, brincou com a monarquia inglesa e também com a cultura do Reino Unido. Dos movimentos de street style à equitação e florais Liberty, os elementos britânicos foram vestidos com a estética dark-paulista de Gloria.

Vitorino Campos

Vitorino Campos optou por uma apresentação de sua coleção na loja Pair, no bairro dos Jardins e um editorial com direção criativa de Hussein Jarouche e fotos de Hick Duarte. A coleção inteiramente branca – com detalhes em preto – foi desenvolvida em algodão, sarja, seda e crepe. As peças estavam à venda na loja durante a apresentação e as modelagens da coleção, disponíveis para download no site da marca. “Eu quero que as pessoas baixem os desenhos e interpretem da maneira que quiserem”, disse o estilista que encontrou uma maneira de democratizar o seu design.

UMA RAQUEL DAVIDOWICZ

A marca evolui seu trabalho com o beachwear, propondo peças como maiôs e biquínis mais fechados, que podem ajudar a mulher a se vestir se usados por baixo de transparências. E a Uma mostrou uma silhueta leve e fluída com uma pegada esportiva, com boas opções de vestidos, jaquetas, calças e tricôs para o verão ou qualquer meia estação. O preto e branco formam a cartela de cores que caiu bem na atmosfera clean da Japan House, onde aconteceu o desfile. O damasco apareceu no meio da apresentação como um ponto de cor.

LILLY SARTI

Como a própria estilista define a sua coleção como urbana com aroma de pele bronzeada. Lilly continua buscando maneiras de traduzir seu gosto – e o de suas amigas e clientes – com peças que refletem as novidades da moda e seus principais desejos.
Com uma boa cartela de cores (crus, vermelhos, mostarda), Lilly oferece uma diversidade de peças para que sua consumidora possa ir de um domingo tranquilo ao trabalho a uma festa, com leveza e bom gosto em tecidos nobres como couro de cabra, jacquard, crepe e seda.

 

TRIYA

O verão 2018 fala de um Brasil redescoberto. O ponto de partida do desfile foi o poema de Oswald de Andrade ‘Erro de Português’ que fala sobre o europeu chegando no Brasil. “Quando o português chegou debaixo duma bruta chuva vestiu o índio. Que pena! Fosse uma manhã de sol, o índio tinha despido o português”. A estilista Isabela Frugiuele explora o Brasil pelo olhar dos colonizadores portugueses, com tramas, cores e estampas inspiradas na exuberância da natureza do país.

OSKLEN

Bem quando a família de Tarsila Amaral se aproximou da Osklen com a ideia de sua obra virar inspiração para uma coleção da marca, Oskar Metsavaht sentiu-se igualmente honrado e desafiado. É inegável a importância da artista, mas como uma marca autoral como a Osklen trabalharia algo que já chega pronto e com tanta história embutida?
A equipe da marca teve o privilégio de desfrutar de todo o acervo da artista e, foi quando eles viram os esboços de Tarsila, que as ideias começaram a surgir. Em vez da riqueza de cores e personagens que habitam o universo de Tarsila, os desenhos à lápis sugeriram uma outra maneira de trabalhar com esse legado. “Já apareceu ali outra palheta de cores e resolvemos fazer o processo inverso: partir de uma tela limpa”, contou Oskar.E desta forma podemos ver que nos primeiros looks são limpos e calmos, e aos poucos, vão surgindo os esboços da artista em lápis ou nanquim preto. No meio do caminho, uma série de vermelhos inspirada no autorretrato Manteau Rouge quebra a calmaria momentaneamente. A parceria encerra com peças totalmente estampadas por obras de Tarsila, como Abaporu e Brasileiros.

 

PATBO

Patricia Bonaldi leva sua PatBo para a praia sem perder os elementos que são característicos da marca. De volta à cultura brasileira como ponto de partida de sua pesquisa, Patricia evoluiu do seu mood americano ‘Pat Bro’, apresentado na última temporada, com uma viagem ao passado visando desenhar o futuro. “O Brasil está de novo no meu processo criativo representado em uma nova potência. Acima de tudo, os universos se fundem”.

 

AMIR SLAMA

Amir Slama trouxe para a passarela em uma coleção inspirada nos anos 50 e nas vedetes do Brasil. Ao som de um medley de Frank Sinatra, um exercício rico de modelagens, com nervuras no cetim com elástico, nos tons nude e vermelho paixão. Em peças bordadas, um trabalho interessante de construção do busto apresentou um acabamento com texturas que parecem joias e se revelam nos decotes. Um vestido em seda esvoaçante vermelho contribuiu para a atmosfera de glamour-old-school proposta por Slama

Pois essa era a continuação do que teve no desfile do SPFW, espero que tenham gostado. Me digam ai nos cometários qual foi a marca que você elegeu como favorito!! Um grande beijo e até domingo que vem!

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s