Alimentação para aumentar a testosterona

Nossa dieta desempenha um papel importante na produção de testosterona. Nossas glândulas precisam de certos minerais – como o zinco e o magnésio – para que a produção desse hormônio seja iniciada e nossas células de Leydig precisam de colesterol para fazer a testosterona. Alguns alimentos – como brócolis, couve-flor e repolho – podem ajudar a aumentar os níveis de testosterona, removendo estrogênios (que diminuem a testosterona) do nosso corpo.

Há algum tempo atrás o consumo de ovos crus era bastante incentivado para os homens. Estudos sugeriam que o maior consumo de gordura e colesterol resulta em níveis aumentados de testosterona total; Os homens cujas dietas tem baixo teor de gordura geralmente têm níveis de testosterona diminuídos. Então muitos homens passaram a aumentar o consumo de gordura e colesterol.

Mas você pode estar perguntando: “O colesterol não é ruim para você? Não causa problemas cardíacos? “

Resposta: é complicado.

Não vamos tratar dos pormenores a respeito do colesterol nesta postagem, mas, em geral, pesquisas afirmam que as crenças populares sobre o colesterol não são completamente corretas e o público não deve tanto medo assim dessa molécula.

Se você está interessado em aprender mais sobre os mitos e os benefícios do colesterol, recomendo ler estes artigos detalhados (em inglês), bem escritos e com pesquisas aprofundas, divulgados no site Mark’s Daily Apple:

Então, vamos para as sugestões de alimentação que podem aumentar seu nível de testosterona, de acordo com o autor Brett McKay, que escreveu um artigo muito interessante para o site Art of Manliness. O texto, que é base para esse artigo, busca pôr em prática várias maneiras de aumentar a testosterona do corpo. O autor cumpriu um programa de 90 dias com diversas maneiras para aumentar a testosterona, e entre elas, falaremos aqui da parte nutricional.

Café da manhã

café da manhã para aumentar testosterona

Para a primeira refeição do dia, Brett incluiu ovos e bacon para aumentar a testosterona.

Durante os dias da semana, comeu três fatias de bacon e três ovos inteiros. Além de considerar delicioso, também forneceu gorduras e colesterol, necessários para fabricar a testosterona.

Nos sábados de manhã, ele e o filho Gus iam a uma lanchonete comer panquecas e burritos.

Almoço

Almoço para aumentar testosterona

Para o almoço em todos os dias da semana (e às vezes no sábado) Brett comia uma salada. Mas não era uma salada qualquer, e sim uma “Salada de Homem”! Ele colocou o máximo de alimentos possíveis para aumentar a testosterona.

Mistura de salada primavera com espinafre. Essa foi a base da salada. Ironicamente, ele usou o conteúdo de uma marca chamada “Organic Girl” (rsrs). Espinafre e outras folhas contêm minerais como o magnésio e o zinco, que comprovadamente ajudam na produção de testosterona (confira um estudo sobre magnésio, mais outro sobre magnésio, e um estudo sobre o zinco).

Carne. A carne, particularmente a carne bovina, fornece ao nosso corpo a proteína necessária para criar músculos (mais músculo = mais testosterona) e as gorduras e colesterol para fazer testosterona. A melhor escolha da carne foram os bifes. Brett grelhava na segunda-feira para que durassem toda a semana. De vez em quando cozinhava lentamente algumas costelas ou peito. A filosofia dele para a carne era: quanto mais gorda, melhor.

Nozes. Normalmente, um punhado de nozes ou castanhas-do-Pará. As nozes são pequenas bombas de gordura que fornecem o colesterol que as células de Leydig precisam para a produção de testosterona. Um estudo sugere que o selênio encontrados nas castanhas-do-Pará aumenta o hormônio masculino. Só não fique viciado nelas. Muito selênio não é bom.

Abacate / Azeitonas. Os abacates e as azeitonas são uma ótima fonte de gorduras boas que precisamos para uma produção saudável de testosterona.

Brócolis. O brócolis contém altos níveis de indol, um composto alimentar que tem demonstrado reduzir o estrogênio ruim em nossos corpos e que reduz os níveis de testosterona.

Azeite. Pesquisas sugerem que o azeite ajuda suas células Leydig (que produzem testosterona) a absorver melhor o colesterol. E como já mencionado antes, nossas células de Leydig precisam de colesterol para fabricar o hormônio dos homens. Mais absorção de colesterol = mais testosterona.

Vinagre balsâmico. Principalmente para o sabor. Também ajuda a manter sua insulina sob controle.

Vejam o que Brett falou sobre a “Salada do Homem”:

Foi o que eu comi no café da manhã e no almoço quase todos os dias da semana durante a experiência de 90 dias, e é o que eu continuo a comer todos os dias da semana, mais de quatro meses após o início da minha experiência. E não me importo. Acho que sou um cara muito chato.

Lanches

Durante o dia, Mckay ingeriu alimentos saudáveis ​​para a testosterona como nozes, sementes de abóbora e brócolis. Também comeu um pouco de chocolate amargo de vez em quando.

Um benefício adicionado para a dieta em busca de aumentar a testosterona com proteínas ricas em gordura e equilibradas, e dieta de carboidratos, ajudam a perder um pouco de gordura corporal (Brett reduziu de 18% para 12% a sua gordura corporal). Estudos mostram que dietas ricas em gordura realmente contribuem para aumentar a perda de gordura corporal. Como já mencionado anteriormente, à medida que você perde gordura corporal, sua produção de testosterona aumenta. Ciclo virtuoso para a vitória!

Jantar

Mckay não seguia uma dieta estritamente baixa em carboidratos porque pesquisas recentes sugeriram que uma dieta rica em proteína e baixa em carboidratos realmente faz com que os níveis de testosterona diminuam. O ideal seria buscar mais carbo de origem vegetal.

Quanto às bebidas alcoólicas, alguns estudos mostraram que a cerveja pode diminuir seus níveis de testosterona de algumas maneiras, então é importante manter certa moderação no consumo.

Após todo esse tempo de dieta para aumentar a testosterona através do consumo aumentado de gordura, Brett fez exames clínicos para saber como estariam seus níveis de colesterol. Vamos conferir:

Colesterol total: 202 mg / dL (só um pouco acima no máximo desejável, de <200 mg / dL).
Colesterol HDL (colesterol “bom”): 77 mg / dL (o intervalo ideal é> 60 mg / dL – os níveis de HDL estavam ótimos!)

Colesterol LDL (colesterol “ruim”): 112 mg / dL (dentro da faixa ideal de 100-129 mg / dL).

Triglicerídeos: 65 mg / dL (<150 mg / dL é considerado normal; <100 mg / dL é ótimo)

Considerando apenas essas informações, a triagem de lipídios foi impressionante.

O colesterol total ficou um pouco alto, mas a maioria dos médicos concorda que o colesterol total não é um bom indicador de risco de doença cardíaca.

As coisas ficam mais interessantes quando você olha as razões que os médicos usam para determinar o risco de uma doença cardíaca por um paciente.

Proporção total de colesterol / HDL: 2.6: 1 (Normal é <5: 1; o ideal é <3.5: 1. O resultado de Brett estava dentro do ideal).
Proporção de LDL / HDL: 0.68: 1 (Normal é> 0.3: 1; Ideal> 0.4: 1. O dele era ideal).
Proporção Triglicerídeos / HDL : 0.84: 1 (Ideal é <2: 1. O dele era ideal).

Então, apesar de exagerar no bacon, ovos, leite integral e bife durante quatro meses, a cobaia humana, Brett Mckay, ainda manteve níveis saudáveis ​​de colesterol.

Obviamente, apesar das citações científicas, não recomendo de forma nenhuma que se siga uma dieta como essa sem antes consultar médicos e nutricionistas para orientarem de forma responsável, inclusive considerando a saúde de cada um.

Fonte: Art of Manliness (adaptado)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s